Exames

Para atender às diferentes necessidades de diagnóstico de doenças oculares, equipamentos da mais alta tecnologia são disponibilizados para a realização de exames oftalmológicos.

É um equipamento que proporciona atendimento diferenciado nos exames de retina, glaucoma e córnea. A tecnologia permite avaliação minuciosa da retina e dos micro-vasos para o acompanhamento e estudo das doenças vasculares da retina e coroideia.

O exame é indolor.

O Teste de Vias Lacrimais consiste na sondagem e irrigação dos canais lacrimais, para avaliar a capacidade de drenagem da lágrima para as fossas nasais.

É indicado para sondar obstruções das vias lacrimais em pessoas com lacrimejamento intenso e constante.

O exame ocorre da seguinte maneira: o médico oftalmologista faz a inserção de um pequeno tubo, chamado cânula, no ponto lacrimal do canto do olho e aplica um soro. Quando não há obstrução, o soro deve passar do olho para as vias nasais.

O exame é indolor, mas por ser invasivo, pode provocar um certo desconforto com o fluxo de líquido no nariz.

A avaliação é realizada através do Teste de Schirmer. Neste teste o paciente recebe uma tira de papel para pôr sob suas pálpebras inferiores. Após postas é só aguardar com os olhos fechados por cerca de 5 minutos. Nesta tira de papel tem medidas que indicam o grau de olho seco do paciente de acordo com quanto o papel molhou.

Não é necessário acompanhante e o teste é indolor.

A plástica ocular atua na correção e no tratamento de pálpebras e tecidos em volta dos olhos (cílios, glândulas, drenagem lacrimal).

O procedimento envolve uma série de exames, que vão desde a projeção dos olhos para fora das órbitas à análise de tumores, assim como as alterações palpebrais, conjuntivais e avaliação da posição dos cílios.

Alguns dos primeiros sinais de doenças como acidentes vasculares cerebrais, diabetes e até mesmo alguns tipos de câncer podem ser observados em sua retina, muitas vezes antes de ter outros sintomas. Um mapa opto torna mais fácil vê-los.

O mapa opto é uma imagem digital panorâmica da retina. As imagens do mapa opto são criadas por lasers de varredura não invasivos e de baixa intensidade.

Nada toca o seu olho, um laser apenas escaneia a sua retina. É completamente confortável e a varredura leva menos de um segundo.

O campo visual é um exame oftalmológico que avalia a percepção visual central e periférica, indicado para acompanhamento de pacientes com neuropatias, glaucoma,alterações na retina e que realizaram plástica ocular e principalmente para detectar e quantificar anormalidades no campo visual.

Durante o teste, uma luz no fundo do aparelho é emitida para que o paciente mantenha a visão focada nela. O procedimento é indolor.

É o exame do campo visual realizado com o campímetro manual (Campímetro de Goldmann). Esse exame permite uma melhor análise do campo visual periférico. É um ótimo método para avaliar pacientes com grande perda da visão, pacientes idosos ou debilitados e crianças, pois é um exame que possui grande interatividade entre o técnico e o paciente.

É bastante simples. O examinador percorre com um estímulo luminoso os vários quadrantes do campo visual. Não é necessário anestesia ou dilatação das pupilas, o exame dura apenas 30 minutos, sendo considerado indolor, não invasivo e de não contato.

Avalia os níveis da pressão ocular em diferentes horários ao longo do dia. Normalmente, são realizadas quatro medições no período das 08h às 18h, tempo em que ocorrem variações na pressão ocular.

O procedimento é necessário para o diagnóstico e acompanhamento do glaucoma. O procedimento é indolor e muito simples, através do Tonômetro o paciente recebe um leve sopro no olho. Não é necessário acompanhante.

Na fotocoagulação, mira-se um raio laser na retina para selar os vasos sanguíneos, com pequenas aplicações, reduzindo aí o edema macular (mácula é a região da retina que possibilita ver detalhes minúsculos, como letras e números).

Para tratar a formação de vasos sanguíneos anormais (neovascularização), as aplicações são espaçadas ao longo das áreas laterais da retina. As pequenas cicatrizes resultantes da aplicação do laser reduzem a formação de vasos sanguíneos anormais e ajudam a manter a retina sobre o fundo do olho, evitando o seu descolamento.

A fotocoagulação a laser normalmente é realizada em regime ambulatorial (dispensa internação) e a maioria dos tratamentos é feita apenas com a instilação de colírio anestésico, necessitando apenas de dilatação da pupila. Normalmente faz-se um olho por vez. É necessário acompanhante e o procedimento é indolor.

Gonioscopia é um exame usado pelos oftalmologistas para ajudar no diagnóstico no acompanhamento de algumas enfermidades oculares, principalmente o glaucoma.

Esse exame ajuda a avaliar o ângulo da câmara anterior dos olhos, a íris e a superfície do cristalino usando lentes de aumento, colocadas em contato com a córnea. Este exame também determinará se o glaucoma já está instalado e qual é o seu tipo, orientando o diagnóstico e o tratamento específicos para cada um.

A gonioscopia analisa enfermidades oculares como o glaucoma, tumores, cistos, aderências da íris ou algum possível trauma nos olhos.

O paciente é posicionado em frente ao gonioscópio, um aparelho constituído por uma lente que permite o estudo do ângulo formado entre a íris e a córnea. São usados dois colírios, um deles anestésico e outro gelatinoso, que embaça a visão.

O exame é indolor mas recomenda-se a presença de um acompanhante.

A iridectomia consiste na realização de um furo na íris. Assim, a iridectomia funciona como um furo extra (além da pupila) que auxilia na passagem do humor aquoso através da íris (O humor aquoso, por sua vez, é um líquido que é produzido atrás da íris).

A iridectomia visa evitar o acúmulo do humor aquoso dentro do olho, o que poderia elevar a pressão intraocular (pressão interna do olho). Portanto, a iridectomia serve para evitar o aumento descontrolado da pressão intraocular.

A iridectomia é feita através de instrumentos cirúrgicos e não há necessidade de internação.

A iridotomia YAG LASER (iridotomia a laser) é um procedimento oftalmológico que consiste em fazer um pequeno furo na periferia da íris com laser YAG. Por este motivo é também conhecida como iridotomia periférica.

Para evitar que a pressão intraocular cresça rapidamente, com a possibilidade de dano ao nervo óptico e perda permanente de visão. Geralmente, o orifício é feito na porção superior da íris, sob a pálpebra superior, e não é visível.

É um procedimento que possui o mesmo intuito da Iridectomia, mas utiliza o laser ao invés de instrumentos cirúrgicos.

É o mais avançado aparelho para se calcular o grau das lentes a serem implantadas em cirurgia de catarata.

É um biômetro de não contato, que utiliza tecnologia de interferometria parcial da coerência óptica. Mede com precisão a profundidade da câmara anterior e a ceratometria.

Calcula-se o tamanho axial do globo ocular, e é de muita valia no cálculo de lentes para implante em cirurgia de catarata.

O exame é indolor.

Também conhecido como exame de fundo de olho ou fundoscopia, é um exame onde um oftalmologista consegue observar os nervos, vasos sanguíneos e o tecido do olho responsável pela captação das imagens.

Através do tratamento pode-se identificar doenças oculares, como glaucoma, descolamento de retina, tumor, inflamações, falta de fluxo de sangue ou intoxicação por remédios, e doenças sistêmicas que causam danos oculares, por alterarem os nervos e vasos dos olhos, como diabetes, hipertensão arterial, doenças reumáticas, doenças neurológicas ou doenças do sangue;

É um exame simples que não causa dor ou provoca lesão.  É simplesmente um aparelho que projeta um feixe de luz no olho para o especialista examinar.

Ressaltamos que pode ser indicada a dilatação da pupila, por isso recomendamos a presença de um acompanhante.

Também conhecido como exame de fundo de olho ou fundoscopia, é um exame em que o oftalmologista consegue observar os nervos, vasos sanguíneos e o tecido do olho responsável pela captação das imagens.

Através do tratamento pode-se identificar doenças oculares, como glaucoma, descolamento de retina, tumor, inflamações, falta de fluxo de sangue ou intoxicação por remédios, e doenças sistêmicas que causam danos oculares, por alterarem os nervos e vasos dos olhos, como diabetes, hipertensão arterial, doenças reumáticas, doenças neurológicas ou doenças do sangue;

É um exame simples que não causa dor ou provoca lesão.  É simplesmente um aparelho que projeta um feixe de luz no olho para o especialista examinar.

Ressaltamos que pode ser indicada a dilatação da pupila, por isso recomendamos a presença de um acompanhante.

Recomendado para o diagnóstico de glaucoma, o exame avalia a pressão intraocular.

Conhecido como Tonometria de Aplanação, o procedimento é realizado por meio do tonômetro, equipamento que indica a pressão adequada para o equilíbrio entre a produção de humor aquoso e a sua drenagem.

Para o exame o paciente recebe uma gota de colírio anestésico e de corante no olho. O exame é rápido e não dói.

Exame indolor, que fotografa as células da camada mais interna da córnea, conhecida como endotélio.

Utilizado em pré-operatório de cirurgia intraocular em geral, tais como na cirurgia de Catarata, de Glaucoma, de Transplante de córnea, assim como nas doenças propriamente ditas da córnea.

A grande importância desse método é permitir uma avaliação de como deverá se comportar a córnea perante uma agressão cirúrgica.

A tomografia de coerência óptica é um exame que possibilita a visualização das estruturas da retina em 3D de imagens de cortes seccionais. A resolução é superior ao ultrassom convencional e não exige contato ocular direto.

O paciente deverá dilatar as pupilas para fazer esse exame, que é indolor e confortável, A permanência do paciente durante a realização do exame é breve totalizando geralmente não mais que 15-20 minutos para um exame bilateral.

Última palavra em tecnologia para diagnóstico de grande número de patologias oftalmológicas, pois o equipamento detecta variações mínimas da retina e do nervo ótico, sendo fundamental para o diagnóstico precoce e controle de progressão das doenças oculares.

O Exame de Potencial de Acuidade Macular (PAM) é indicado para pacientes com baixa acuidade visual e pacientes que realizarão Cirurgia de Catarata ou Transplante de Córnea.

O exame de Potencial de Acuidade Macular (PAM) é indolor, não invasivo e de não contato. É necessário um acompanhante.

O exame mede a espessura da córnea através de um feixe focalizado. O procedimento é rápido e indolor e indica possíveis degenerações e edemas de córnea, além de auxiliar no diagnóstico do glaucoma. O procedimento também é exigido no pré-operatório de cirurgias refrativas.

Conhecido popularmente como teste de vista é o exame que de forma aproximada quantifica o erro refracional (miopia; hipermetropia; astigmatismo) do paciente.

Com este resultado estima-se o grau final através do refrator manual, junto ao médico Oftalmologista.

Este exame verifica a necessidade ou não do uso de lentes corretivas para uma melhor visão, através de um computador.

A retinografia permite obter diversas fotos em alta resolução, fazendo uma documentação fotográfica do fundo de olho e possibilitando um acompanhamento seriado da evolução de lesões que nele existam. O exame é simples, indolor e dura apenas alguns minutos.

Conjunto de exames que envolve o teste com lentes de prova para selecionar a lente de contato mais adequada para cada paciente.

Para se ter segurança no uso de Lentes de Contato, é fundamental que elas estejam bem adaptadas, com curvatura, diâmetro, grau e material próprio para cada caso.

O teste de Ishihara é o método utilizado para diagnosticar o daltonismo.

O exame consiste na exibição de uma série de cartões coloridos, cada um contendo vários círculos feitos de cores ligeiramente diferentes das cores daqueles situados nas proximidades. Seguindo o mesmo padrão, alguns círculos estão agrupados no meio do cartão de forma a exibir um número que somente será visível pelas pessoas que possuírem visão normal.

O número de acertos pode variar conforme o grau e o tipo de daltonismo.

O exame é indolor.

Esse exame é indicado para pessoas com olhos secos para avaliar o grau de debilitação das células superficiais da córnea e da conjuntiva.

O nome se dá devido ao uso, durante o procedimento, de um produto (corante) que leva esse nome.

A Lissamina verde é um corante vital, utilizado no estudo do olho seco.

É o corante vital de preferência hoje em dia por causar menos desconforto ao paciente e ser mais eficaz e fidedigno.

Esse exame é indicado para pessoas com olhos secos para avaliar o grau de debilitação das células superficiais da córnea e da conjuntiva.

O nome se dá devido ao uso, durante o procedimento, de um produto (corante) que leva esse nome.

O corante causa leve irritação e ardor no paciente.

Avalia a função dos músculos responsáveis pelo alinhamento e movimentação dos olhos.

Indicado para diagnóstico de estrabismo, o exame é realizado por meio de um foco luminoso e a projeção de uma imagem.

O objetivo é analisar o movimento muscular e a resposta dos olhos aos estímulos visuais.

Exame que mede a pressão ocular usando um aparelho chamado tonômetro, o exame possibilita identificar casos de pressão alta (hipertensão ocular ou glaucoma) no olho, para o acompanhamento da administração medicamentos do glaucoma e do pós-operatório de cirurgias intraoculares que possam interferir na pressão ocular, assim como para a identificação de casos de hipotonia (pressão ocular abaixo dos valores de normalidade).

O procedimento é indolor e dura poucos minutos.

É um exame que determina a curvatura corneana, possibilita a análise do relevo corneano e o mapeamento da superfície da córnea e suas irregularidades desde o centro até a periferia.

Ao diagnosticar os vários tipos de doenças da córnea, o exame oferece maior precisão sobre a superfície corneana, no qual são traçados um mapa e as irregularidades da região. Além disso, a topografia corneana é utilizada assim como na adaptação de lentes e no acompanhamento de procedimentos pré e pós-operatórios.

A topografia corneana é um exame indolor com um tempo de execução de aproximadamente 5 minutos.

Verifica de forma indireta a capacidade de drenagem do humor aquoso (líquido interno do olho), ou seja, medida da pressão intraocular. O Teste de Sobrecarga Hídrica é indicado para diagnosticar e acompanhar pacientes com suspeita de glaucoma.

O teste é muito simples! Primeiramente é medida a pressão ocular, após isso o paciente deve ingerir um litro de água em um período de 5 minutos, depois a pressão intraocular é medida novamente em períodos de 15, 30 e 45 minutos.

O procedimento total leva cerca de 1 hora e é indolor.

Exame de ultrassom dos olhos. Indicado em casos onde não se consegue visualizar o fundo de olho através do exame do mapeamento de retina (ex.: na presença de catarata total, hemorragia vítrea, vitreítes e opacidades da córnea).

O exame é totalmente indolor e é realizado com uma sonda em contato com a pálpebra fechada do paciente. Necessita da presença de um acompanhante.

Após a realização da cirurgia de catarata costuma ocorrer em grande percentual de pacientes, a opacificação (perda de transparência) da membrana na qual se apoia a lente intraocular.

Esta perda de transparência irá acarretar uma redução da qualidade e quantidade de visão, e pode ocorrer meses ou até mesmo anos após a cirurgia.

O YAG LASER trata essa opacificação. O tratamento é indolor, feito ambulatorialmente com o uso de colírio anestésico, após a dilatação da pupila, e irá proporcionar uma grande melhora visual após a sua realização.

Cirurgias Oculares

Nós possuímos equipamentos de tecnologia avançada que  auxiliam o qualificado corpo clínico na identificação e tratamento de doenças oculares. A união de conhecimento, experiência e tecnologia avançada garantem resultados excepcionais para a sua saúde.

 

O anel intracorneano é uma técnica cirúrgica com finalidade ortopédica que consiste na implantação de uma órtese no tecido corneano para alterar a curvatura da córnea na quantidade necessária para correção que se deseja obter.

As cirurgias antiglaucomatosas (para tratar o Glaucoma) têm como objetivo a diminuição e controle da pressão ocular. A Trabeculectomia, técnica mais adotada, consiste em criar um canal alternativo de drenagem do humor aquoso (líquido intraocular) para melhor controle da pressão ocular.

A Cirurgia de Catarata consiste na quebra e aspiração do cristalino opaco utilizando-se um aparelho com ultrassom para o implante de uma lente intra-ocular dobrável na córnea. Atualmente é realizada também a cirurgia de catarata a laser.

A cirurgia para correção de estrabismo é baseada no restabelecimento do equilíbrio entre as forças dos músculos oculares externos para reposicionar o globo ocular, corrigindo um desalinhamento e, quando possível, restaurando a visão binocular.

A maioria dos casos de Descolamento de Retina é causada pela presença de um ou mais buracos na retina. A cirurgia consiste na aplicação de um raio laser capaz de fechar os buracos e impedir a penetração de líquido, evitando o descolamento.

A cirurgia de implante de lente Fácica consiste numa pequena incisão, através da qual a lente é implantada na parte anterior do olho, se apoiando antes ou depois da íris. É indicada para pacientes com altos graus de miopia e hipermetropia.

A Plástica Ocular é muito diversificada e abrange tanto a área da pálpebra como as vias lacrimais e a órbita. Existem diversas técnicas que têm como foco o respeito à integridade do globo ocular e da função visual, para tratar tumores, feridas, posicionamentos errôneos, pálpebras caídas e até para tratamento da tireoide.

Na oftalmologia, a aplicação da toxina botulínica é indicada para tratamentos estéticos, tratando rugas geradas pela expressão facial, e também para tratamentos de estrabismo, equilibrando as forças motoras para alinhar a posição dos olhos.

O transplante de córnea é uma cirurgia na qual a córnea doente é substituída pela córnea de um doador. Indicada para pacientes que tenham sofrido traumatismos oculares; Ceratocone; doenças metabólicas e congênitas  e complicações após cirurgias oculares.

A capsulotomia YAG Laser é uma técnica cirúrgica que visa tratar a opacificação da cápsula posterior do cristalino – que ocorre como uma complicação da cirurgia de catarata – com segurança, eficácia e sem dor.

Cirurgia com alta tecnologia

 

O bloco cirúrgico é composto por salas equipadas com alta tecnologia e confortável estrutura para recuperação dos pacientes e acomodação dos acompanhantes.

Conheça nosso corpo clínico.

Atendimento humanizado

 

A valorização do ser humano, a competência profissional e a promoção de recursos avançados na medicina ocular são o que sustentam o reconhecimento da Biovisão.
Por isso, a instituição investe na constante capacitação de seus colaboradores, assim como na produção de planejamentos e pesquisas de satisfação para garantir um único propósito: o seu bem-estar.

WhatsApp Prefere conversar pelo WhatsApp?